domingo, 11 de julho de 2010

120 min. de sangue espanhol


Nao foi Brasil, mas foi Espanha, e posso falar ? Foi merecidíssimo, primeiro título da história deles, muita garra, muita bola no pé, muita ginga, muita determinação e com certeza, muita emoção naqueles 120 minutos pura e totalmente dedicados a um objetivo de toda uma nação: a vitória.
Foi lindo ver o gol suado do fofo do Iniesta no fim do segundo tempo de prorrogação e ele, sem querer saber de nada, levantou a camisa e mandou sua mensagem pro mundo (por mais que eu nao saiba o que estava escrito...); foi emocionante ver o Casillas deixar o pranto rolar no momento em que o árbitro Howard Wells apitou o fim de jogo. Não segurei o sorriso em ver todos esses guerreiros espanhóis maravilhosos com a felicidade transbordando ao erguer a Taça do Mundo, quicava de alegria no sofá ao vê-los abraçando uns aos outros, festejando e carregando o troféu dourado pelo campo.
Mas é claro, não podemos esquecer os holandeses, agonizei ao ver o olhar distante deles, a decepção, os olhos marejados de Sneijder e os parabenizo também, mesmo com socos e pontapés durante todo o jogo, temos que aceitar, é a forma deles de lutar e de jogar talvez, nada desmerece e eles, com certeza, podem se considerar mais que vencedores por terem chegado ao segundo lugar do pódium mais disputado do mundo.
E agora, sem mais nem menos, PARABÉNS ESPANHA!

Nenhum comentário:

Postar um comentário