domingo, 28 de março de 2010

"Senti seu coração perfeito ..."

"... Batendo à toa e isso dói"
Tinha que ter sido ontem, mas não deu inspiração e tinha muita coisa pra fazer, mas homenagem quando vem com sinceridade não tem dia nem hora marcada. E hoje estou aqui querendo estar lá em cima do lado de Renato Russo com seu violão na mão. É, a 50 anos atrás ninguém podia saber, porém um gênio nascia e estava pronto para revolucionar todo o rock brasileiro.
Li no jornal "Religião Urbana" e parei pra pensar que existe toda uma"doutrina" dentro das letras tão complexas, mas tão singelas e simples que adentram teu coração e mente sem pedir passagem, mas que são bem-vindas sempre. E é de alguma forma gratificante perceber que mesmo Renato Russo tendo morrido antes de eu nascer, eu ouço ele hoje mesmo assim, mesmo na angústia de querer ele de alguma forma ao meu alcance e mesmo depois de anos e décadas, as letras nunca ficam anacrônicas, digo nunca com bastante certeza, porque pega "Há Tempos" pra ouvir e transfere pra sua vida e é percebido facilmente toda a realidade daquela época e de hoje em dia ali.
Cazuza disse uma vez que os bons morrem cedo, e eu não queria concordar com ele, mas não há como discordar e me dá uma tristeza, uma ausência de revolucionários, daqueles que nem Renatinho que jogava um "Geração Coca-Cola" na tua cara pra te fazer pensar no sistema totalmente antiético que vivemos. Sinto falta mesmo sem nem ter tido um lindo que ficava no violão cantando "Angra dos Reis", "Quem Inventou o Amor" e por aí vai.
Bom, um dia encontramos ele lá em cima e eu, for sure, vou pedir pra ele sussurar vários versinhos no meu ouvido e dançar loucamente ao meu lado, sim sim.
Espero que tenham gostado da homenagem singelinha aqui.
Beijon

Um comentário:

  1. quem disse os boms morrem jovens,foi o renato russo não o cazuza.

    ResponderExcluir