domingo, 11 de abril de 2010

Cinema e Vida

Hey bloggers!
Estava eu lendo meu livro chamado "Como a Geração Sex-Drugs-And-Rock N' Roll Salvou Hollywood", e uma das características do cinema naquela época, anos 70, era os diretores expressarem seus ideais, sentimentos e os problemas da época nos filmes, e de certa forma "agredindo" o espectador, jogando os fatos nas suas caras. Daí me vem George Lucas fazendo sucesso com "Star Wars" e mudando o estilo do cinema revolucionário, voltando a fazer filmes ingênuos, infantis, com uma narrativa linear com apenas uma história para contar, e aí que começa toda a história de "americanização" dos filmes, aquela coisa comercial, com um bando de tias usando diamantes e fazendo compras no East Side bem no estilo "Sex and The City" ou "Os Delírios de Consumo de Becky Bloom". E toda essa história me remete a situações comuns (I think) do nosso dia-a-dia, em que quem resolve mostrar os fatos, quem encara, quem é vulnerável pelos sentimentos e pelos fatos, quem gosta do diferente e faz parte do mesmo, é criticado fervorosamente, sem dó nem piedade. Mas aí, os que preferem passar um dia no shopping sem querer ver o mendigo que não tem o que comer, quem resolve que a melhor maneira de passar pelas coisas é ignorá-las e quem prefere o fácil ao certo, é tratado com uma pessoa sã, ótima e linda. Para resumir tudo isso, achei uma frase maravilhosa de Milius: "É fácil ser cínico, difícil é ser sentimental." E, como eu adoro frases, citações, etc, para fazer mais uma ligação dessa situação que descrevi com o cinema, pego essa fala de William Friedkin: "O que aconteceu com 'Star Wars' foi o mesmo que quando o McDonald's se estabeleceu e o gosto por boa comida desapareceu. Agora estamos num período de involução. Tudo está sendo sugado para dentro de um grande redemoinho."
E aí, o que vocês acham ? Sei que posso estar sendo radical, mas eu vejo as coisas dessa forma, meu jeito radicalmente de ser. Ah, e quero agradecer à Luiza Galvão porque parte da ideia desse post veio dela.
Beijon
PS: Para os que curtem George Lucas, sorry, eu não gosto do trabalho dele (nem dele) e para os que curtem "Star Wars", sorry também.

3 comentários:

  1. acho que você tá sendo radical , cara .

    ResponderExcluir
  2. tipo , tem horas que você só quer se divertir , ver um filme bobo que só te faça rir , e não é por isso que você é fútil , é tudo uma questão de momento , por isso acho bom o fato de ter vários estilos , cada um escolhe de acordo com o que gosta .

    ResponderExcluir
  3. foi uma analogia entre filmes e vida, mas enfim, eu tava bem mais radical e revoltada esse dia do que o normal /tenso. Ler esse meu livro de cinema nos anos 70 me deixa completamente assim :/

    ResponderExcluir